Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

'

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Mesmo depois do compromisso firmado pela prefeitura, estudantes de Ceará-Mirim continuam sem ônibus.


Quinta-feira , 31 de julho de 2014, em reunião com a Chefe de Gabinete da Prefeitura de Ceará-Mirim, Luíza Moreira, no prédio da prefeitura municipal, às 10:30 horas da manhã, os Coordenadores de Assuntos Estudantis, Débora do Nascimento Felipe, e Imprensa e Divulgação, Anaxágoras Lopes Vital, do Diretório Central Estudantil da UFRN, DCE José silton Pinheiro, entregaram um documento solicitando resolução para o problema da insuficiência na frota de ônibus que transporta os estudantes universitários da cidade.

A curto prazo, os coordenadores propuseram a disponibilização imediata de mais um ônibus para transportar os alunos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Instituto Federal De Ensino Tecnológico do Rio Grande do Norte e, a longo prazo, a criação de uma comissão para discutir e planejar as ações possíveis para a melhoria do transporte estudantil do ensino superior de Ceará-Mirim.

A partir dessa conversa, no mesmo dia, os representantes do movimento estudantil foram encaminhados para uma reunião com a Secretária Municipal de Educação, Ângela Paiva, que garantiu dar uma resposta sobre a situação até a quarta-feira seguinte(06/08). Nessa data a Secretaria Municipal de Educação contatou o coordenador Anaxágoras  Lopes Vital e garantiu que na segunda-feira seguinte (11/08) o novo ônibus já estaria circulando. Infelizmente, até a presente data, o ônibus ainda não passou a fazer parte da frota e os alunos continuam na espera. 

Mesmo assim, o DCE continuará insistindo e lutando para que o problema desse ônibus seja resolvido. 

Segue abaixo o documento que foi entregue à chefe de Gabinete Luíza Moreira e à Secretária Ângela Aquino no dia 31 de julho. 



quarta-feira, 23 de julho de 2014

Movimentações contra o aumento da passagem não vão parar, afirma Coordenador Geral do DCE da UFRN.


"Continuaremos a ocupar as ruas, praças, escolas e universidades na luta pela revogação do aumento e, principalmente, por outra política de transporte pra cidade."

Em resposta a confirmação do aumento da tarifa de ônibus de Natal para R$2,35, definida hoje, (23/07) em reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito Urbano de Natal, na sede da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), o Coordenador Geral do DCE da UFRN, Gabriel Medeiros, e membro das comissões que organizam as movimentações contra  o aumento da passagem em Natal, afirmou em seu perfil social do facebook que as manifestações que estão ocorrendo não vão parar. Ele afirma que os vários movimentos envolvidos continuam organizados e que haverão novas manifestações.

Via esseshumanos.blogspot.com.br

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Plano Nacional de Educação aponta novas metas para universidades

A reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Angela Paiva, considera que as diretrizes do novo Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado esta semana na Câmara dos Deputados são amplas, “mostram que a proposição vai além de preocupações internas e coloca as questões educacionais em uma perspectiva ampliada de desenvolvimento social e humano".

O texto aprovado eleva para 10% do Produto Interno Bruto (PIB) os investimentos em educação nos próximos dez anos e aponta novas metas para as universidades. Na avaliação de Angela Paiva, o PNE pode ser visto como “uma política pública com foco nas pessoas, em vez de uma política com foco no sistema de educação ou no sistema socioeconômico”.

A gestora destaca algumas das metas para o ensino superior que, ao seu ver, trazem alento às universidades: elevar, gradualmente, a taxa de conclusão média dos cursos de graduação presenciais nas universidades públicas para 90%; ofertar um terço das vagas em cursos noturnos; elevar a relação de estudantes por professor para 18; elevar a qualidade da educação superior pela ampliação da atuação de mestres e doutores nas instituições de educação superior para 75%, no mínimo, do corpo docente em efetivo exercício, sendo, do total, 35% doutores e duplicar as matrículas da educação profissional técnica de nível médio, sem prejudicar a qualidade da oferta.

No caso da UFRN, a prioridade é atingir a taxa de matrícula. Para a reitora “O mais importante para a Instituição é atingirmos a meta de matrículas no ensino superior, ou seja, elevarmos a taxa bruta de matrícula para 50% e a taxa líquida para 33% da população de 18 a 24 anos, assegurando a qualidade da oferta”.

Outras diretrizes do PNE colocam como meta para os próximos dez anos a erradicação do analfabetismo no país, a universalização do atendimento escolar, a superação das desigualdades educacionais e o estabelecimento de metas de aplicação de recursos públicos em educação com proporção no PIB. O texto-base aprovado tramitava há três anos no Congresso Nacional e ainda pode ser alterado.

Via UFRN.br

quinta-feira, 22 de maio de 2014

UFRN realiza seminário – Eleições 2014: o desafio da profissionalização

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte, através do Departamento de Políticas Públicas, realizará sexta-feira (30), às 08:30 da manhã, no auditório da biblioteca central Zila Mamede, o seminário “Eleições 2014: o desafio da profissionalização”.
A trivialização do regime democrático e da consequente disputa eleitoral aberta e competitiva é um dado estabelecido no Brasil. Diante de tal realidade, os candidatos e suas respectivas máquinas partidárias atuam com o pleno intuito de potencializar a atividade de convencimento e captura de votos. Nesta lógica, não há espaço para amadorismos. O fenômeno de profissionalização da eleição é algo que interessa, tanto acadêmicos, como também aspirantes e especialistas consagrados do campo da política.
Pensando em refletir acerca do tema, o seminário trará quatro palestrantes no período matutino e uma oficina com dois profissionais no turno vespertino. No encontro, será possível compreender o cenário eleitoral, a partir da palestra do Professor da UFRN, Doutor em Ciência Política (IUPERJ) e ex Consultor em Brasília, Alan Lacerda. Logo em seguida, o Mestre em Ciências Sociais (UFRN), especialista em Marketing (FGV), com vasta experiência na área, Bruno Oliveira, lancará luz sobre o papel do marketing e do planejamento de campanha numa eleição. O seminário também contará com palestra do professor do Departamento de Ciências Sociais, Doutor em Ciências da Comunicação (USP) e pesquisador da relação entre Mídia e Política, João Emanuel. O advogado (UFRN) especialista em Direito Eleitoral, Vice-Presidente do Instituto de Pesquisa em Gestão Pública (IPGP) e com assessoramento a candidatos e partidos políticos, Caico Vitor, finaliza a atividade da manhã.
ps-eleicoes2014-palestrantes-v3
Na oficina “Pesquisas Eleitorais e Estratégias de Campanha”, que se inicia às 14:00 do mesmo dia, no Setor II, Sala B-4, o professor substituto da UFRN, Daniel Menezes, Doutor em Ciências Sociais (UFRN) e Diretor do Instituto Seta de Pesquisas, trabalhará os meandros constitutivos dos Levantamentos Eleitorais. Logo em seguida, Anderson Cristopher, doutorando em ciências sociais (UFRN), professor substituto da UFRN e consultor político, fala sobre a formação das Estratégias Eleitorais.
foto
O seminário “Eleições 2014: o desafio da profissionalização” é direcionado para aqueles que trabalham, direta ou indiretamente, com eleições, tais como pesquisadores, jornalistas, marketeiros, políticos, assessores, membros do judiciário, estudantes, além de todos aqueles que se interessam em saber como se processam as atividades de campanha, a análise de conjuntura, o marketing e planejamento, a relação entre mídia e política, o direito eleitoral, a pesquisa e a composição das estratégias eleitorais. A ideia é oferecer uma análise compacta sobre os principais pontos concernentes ao papel desempenhado pelos profissionais da eleição.
O evento é gratuito e conta com o apoio da Agência de Marketing Plano B e da Revista Carta Potiguar.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

DCE convoca os estudantes par ATO pela Assistência Estudantil na UFRN

Foi com muita luta que o DCE, ao longo dos anos, conseguiu articular junto à reitoria e a PROAE alguns programas que beneficiam o estudante carente e que o auxiliam a conseguir continuar seu curso na universidade. 

Quando um direito que já foi conquistado não mais funciona ou está defasado, é hora de lutarmos por ele. O DCE convida você a ir a luta pelo aumento do auxílio residência e pelo pagamento do bolsa creche.

Lembrando que Assistência Estudantil não é favor da universidade, é direito do estudante!




sexta-feira, 9 de maio de 2014

UFRN e a verdadeira face de uma realidade maquiada

 Ontem por volta das 18:30, estudantes da FACISA, UFRN Santa Cruz, realizaram grande manifesto em prol de melhorias estruturais e acadêmicas. Em rede social a Coordenadora Geral do Diretório Central dos Estudantes da UFRN, Daniella Araújo, expõe o pensamento da coletividade acadêmica em desabafo:

PROTESTO NA FACISA: ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL CADÊ VOCÊ?

Tem gente que ainda não se tocou que o povo está cansado de demagogias, instrumento de credibilidade comumente utilizado pela velha classe política para ambições eleitorais.

Na UFRN em Santa Cruz -FACISA não é diferente, os estudantes sentem na pele o uso eleitoreiro das *bolsas* que deveriam ser Assistência Estudantil mas, não passam de programas que servem para elastecer os problemas vésperas as eleições, demonstrando como ainda funciona aquela velha política dos coronéis que dominavam a região, com aquele toma lá da cá. Assistência estudantil é uma coisa, assistencialismo barato é outra. A primeira liberta, a segunda escraviza. Assistência estudantil é direito, não é favor!”

                Acadêmicos de todos os cursos ofertados pela instituição tentam trazer à tona a verdadeira face de uma realidade maquiada mostrando a real situação dos estudantes nas precárias condições atuais, entre eles a estudante de Enfermagem Luana Medeiros publica pauta sobre alguns (dos vários) motivos apontados na realização da manifestação: “Em virtude do descaso ao abandono sofrido pelas instâncias as quais deveriam nos gerir, formulamos a presente pauta apontando as reais necessidades nas quais passam despercebidas aos olhos dos que do alto do poder não conseguem enxergar.

”Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes... III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;...”

“Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.”

* AUXILIO ALIMENTAÇÃO
O valor em repasse (CENTO E CINQUENTA REAIS), é insuficiente para suprir necessidades básicas nutricionais dos estudantes, pedimos uma avaliação de valores, assim como maior transparência sobre a regulamentação de data precisa para repasse deste auxílio estudantil; Além de que, no CERES (Currais Novos e Caicó) o valor do Auxílio Alimentação é de R$300,00. Por que na FACISA é R$150,00?
* ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL
Pedimos maior participação da direção e PROAE na vida estudantil para maior acompanhamento dos problemas enfrentados tanto em sala de aula, como fora dela que se entrelaça no ramo acadêmico. Pedimos assistência:
* Para os estudantes estagiários: Em virtude da necessidade prática dos cursos ofertados pelo campus, somos lesados financeiramente e moralmente com prejuízos que cobrem desde a locomoção municipal para os estabelecimentos de saúde, até com o esgotamento físico/psicológico ocasionado pela falta de centro para descanso e alimentação extra nos campus localizados em outros municípios, englobando não apenas residentes, mas todos os alunos do campus que necessitam desta atenção.
* Para os estudantes de outros municípios que por sua vez, são forçados a passar o dia fora de suas casas sem nenhum amparo para suas necessidades privativas entre horários que deveriam ser de descanso para todos os estudantes e funcionários da instituição;
* Para os residentes que enfrentam problemas diários que vão desde estrutura física do prédio até ao prejuízo intelectual por falta da assistência que nos é negada.
* MANUTENÇÃO DO PATRIMÔNIO
Apesar de recém-inaugurada, a Residência Universitária já se encontra em estado crítico resultante do mau planejamento e instalações precárias que se mostram no decorrer dos ambientes, representando um risco a integridade física e intelectual dos residentes.
* SEGURANÇA
Pedimos também maior segurança para o patrimônio e para os estudantes em virtude dos crescentes assaltos ocorridos pela cidade inclusive aos arredores da residência. Ano passado, 2013, nos foi prometido verbalmente a instalação de câmeras de vigilância, assim como disponibilização de armamento para vigilantes, ainda aguardamos pacientemente por alguma resposta sobre o assunto.
* AUXILIO TRANSPORTE
Consideramos a possibilidade de auxilio transporte em virtude da necessidade de novas vivências acadêmicas assim como para retorno as respectivas cidades de origem, fazendo parte integral a saúde mental dos estudantes.
* PARTICIPAÇÃO ESTUDANTIL
Queremos também maior participação estudantil sobre tomadas de decisões que abordem a todos para evitar maiores inconveniências, prejuízos esses que vão desde uma “simples porta de vidro” até na escolha e classificação de professores substitutos, afinal, esses e muitos outros são assuntos voltados diretamente ao interesse do corpo estudantil e estamos cansados de embates e consequências perceptíveis ao longo dos períodos letivos com desfragmentação de conteúdos e consequente quebra de desenvolvimento intelectual.
* AMPARO AOS ESTUDANTES
‘Vai e vem’ Chega de sermos tratados como brinquedo de criança, aqui exigimos respeito pelos superiores, exigimos rapidez na construção de espaço de convivência para os alunos, exigimos salas de monitoria fixas, exigimos sala para reuniões (projetos, grupos de estudo), salas abertas antes das aulas, exigimos por fim espaço para acolhimento, troca de experiências, convivência integrada pois “nem só de pão vive o homem”, precisamos de relações sociais que transcendam relações acadêmicas, pois sem isso a universidade deixa de ter esse título para virar instituição de ordem mecânica, para moldar “peças” e jogá-las no mercado de trabalho, como exigir de nós, como futuros profissionais de saúde a tão discutida humanização na assistência se isso passa a distância do modo da formação a qual é nos fornecida?
* ATENÇÃO PSICOLÓGICA
Devido ao modo de vida acadêmico sobrecarregado ao qual estamos inseridos, sem nenhum aporte emocional, individual ou coletivo.
Contudo, o que pedimos é o voltar do olhar também para “os marginalizados”, é o escutar da nossa voz que clama por socorro em condições subumanas as quais nos sufocam e que em último esforço não nos deixamos oprimir, então imploramos, nos deem voz, nos deem ouvidos, mas, por favor, não nos tragam mais o silêncio de ações vagas porque isso já transcende nossa despensa, aliás, é só o que tem lá.”

 Santa Cruz – RN
08 de Maio de 2014

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Reforma e ampliação do CB beneficia pesquisa genética da UFRN na fauna e flora

Dentro de um ano, as coleções biológicas da fauna e flora potiguar, oriundas de projetos de pesquisa do Centro de Biociências (CB) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), estarão armazenados e/ou acondicionados mais adequadamente, conforme ocorre nas demais instituições de pesquisa do país.

Para tanto, a reitora Ângela Paiva Cruz autorizou na manhã desta sexta-feira, 2, o início das obras dos espaços que vão abrigar as coleções biológicas dos projetos e cursos de pós-graduação do CB. Além dessas, foram contratados, também, o equipamento do sistema de transporte vertical e as reformas nos departamentos que integram o Centro de Biociências.

Dirigentes e pesquisadores do Centro de Biociências, da Superintendência de Infraestrutura e representantes de construtoras participaram das assinaturas dos contratos que totalizam 2 milhões, 18 mil e 346 reais de recursos provenientes do CT-INFRA/FINEP e da própria UFRN.

Para a pesquisadora Eliza Maria Xavier Freire, o investimento nessas obras “confirmam a responsabilidade que a universidade tem perante a pesquisa em ciências biológicas, sobretudo com o patrimônio genético”.

Ao concordar com a pesquisadora, a reitora reconheceu que “a luta e a conquista de condições favoráveis ao desenvolvimento da pesquisa científica institucional nessa área de conhecimento é da comunidade científica do Centro de Biociências, para a qual a atual gestão da UFRN se empenhou no sentido das melhorias serem concretizadas”.

Ao agradecer o empenho da gestão, o vice-diretor do CB, professor Jeferson de Souza Cavalcanti, ressaltou que “o investimento é necessário para que os pesquisadores possam produzir para a comunidade”.

Pesquisadora do CB e vice-reitora, Maria de Fátima Freire de Melo Ximenes considerou que “as obras contratadas no dia de hoje vão assegurar a manutenção das coleções e possibilitar, em breve, o compartilhamento de informações e de bancos de organismos e de células com outros centros de pesquisa do país e do mundo”. 

As obras

As reformas e a ampliação das instalações do CB serão executadas pelas construtoras L&L Engenharia LTDA e Areta Construção, Comércio e Serviços Ltda. Conforme prevê os contratos, os trabalhos de melhoria nos departamentos devem ficar prontos em 151 dias. O restante do serviço contratado deve ser entregue dentro de 301, ou seja, quase um ano.

Para o pró-reitor de Pesquisa, Valter José Fernandes Júnior, “trata-se de uma obra importante porque vai beneficiar uma área de produção e conhecimento que é referência no Brasil e no exterior”.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Presidenta Dilma sanciona Marco Civil da Internet

Na manhã desta quarta-feira (23), no dia seguinte à aprovação do Marco Civil da Internet pelo Senado, a presidente Dilma Rousseff sancionou o projeto de lei durante um evento em São Paulo. A sanção foi feita pouco antes da cerimônia de abertura do evento Netmundial, realizado até quinta-feira (24) em São Paulo.

A aprovação do projeto foi agilizada justamente para que pudesse ser apresentado já como lei durante o evento internacional, que dura dois dias e aborda a governança da internet.


Dilma agradeceu ao deputado Alessandro Molon (PT-RJ), relator do Marco Civil, e também aos responsáveis pela aprovação do projeto em "tempo recorde". Durante a votação da matéria na terça, diversos senadores reclamaram da pressa para aprovação e pediram mais tempo para a análise e possíveis alterações na proposta.
Em seu discurso, a presidente afirmou que o Marco Civil demonstra o sucesso das discussões multissetoriais e também do uso da internet como uma plataforma para contribuições. "Nosso marco foi valorizado pelo processo de sua construção", disse, referindo-se à participação de diversos setores e representantes da sociedade civil na elaboração do texto.

Ao resumir alguns dos princípios do marco – uma "Constituição", com os direitos e deveres dos internautas e empresas ligadas à web -, Dilma deu destaque à neutralidade da rede (ponto mais polêmico do texto, que determina o tratamento igual de todo tipo de conteúdo). Segundo ela, esta foi uma conquista "que conseguimos tornar consensual ao longo do processo".

Para a presidente,tão importante quanto garantir a renda é levar à população o acesso á internet. Isso porque, com a web, tem-se cidadãos com opiniões próprias, além da possibilidade de expressá-las. "Para nós, este é o valor inestimável da internet." Ainda segundo Dilma, o ambiente virtual ajuda a promover e respeitar a diversidade étnica e cultural do Brasil.

Durante o discurso do ministro Paulo Bernardo (Comunicações), duas pessoas da plateia fizeram um protesto, exibindo uma faixa com os dizeres: "Marco Civil sim, vigilância não". O cartaz pedia o veto do artigo 15, que determina aos provedores a guarda do registro de acesso a aplicações de internet (caso do Facebook e Gmail, por exemplo).

Netmundial

Também participaram da cerimônia de abertura Fernando Haddad (prefeito de São Paulo), Wu Hongbo (secretário-geral adjunto da Organização das Nações Unidas para assuntos econômicos e sociais), Vinton Cerf (um dos "pais" da internet) e Tim Berners Lee (criador da World Wide Web), entre outros

O evento internacional deve reunir cerca de 800 participantes vindos de 80 países diferentes. O objetivo é criar uma "carta de princípios" sobre a governança da internet - um conjunto de acordos e tratados, que permitem uma "padronização" da web em todo o mundo.

O presidente da Netmundial, Virgílio Almeida, afirmou que esse sumário servirá de subsídio para outras reuniões sobre o mesmo tema (assim como já acontece no setor ambiental). Entre os temas a serem debatidos estão segurança, privacidade, liberdade de expressão, papel dos governos e acesso universal à rede.

Desafios

Dilma afirmou que a Netmundial responde a anseios globais e, durante seu discurso, enfatizou a importância da privacidade na internet (ela classificou a espionagem revelada em 2013 por Edward Snowden como alvo de "repúdio" e "indignação").

Segundo ela, as discussões sobre a governança na internet devem ser pautadas em duas premissas: a de que todos querem proteger a internet como um espaço democrático e a de que esse debate deve ter a participação de um público cada vez mais amplo.

Para Cerf, o grande desafio do evento é pensar na estrutura da governança multissetorial, que deve preservar a liberdade da internet e mantê-la aberta, protegendo os direitos dos usuários. Segundo ele, este diálogo é muito importante hoje, quando cerca de 3 bilhões de pessoas utilizam a internet em todo o mundo. Ainda assim, considerando a missão de tornar a web acessível a todos, reconheceu: "Nosso trabalho está longe do fim".

Para Cerf, o grande desafio do evento é pensar na estrutura da governança multissetorial, que deve preservar a liberdade da internet e mantê-la aberta, protegendo os direitos dos usuários. Segundo ele, este diálogo é muito importante hoje, quando cerca de 3 bilhões de pessoas utilizam a internet em todo o mundo. Ainda assim, considerando a missão de tornar a web acessível a todos, reconheceu: "Nosso trabalho está longe do fim".

Para Berners Lee, não é possível saber como será a internet nos próximos 25, mas cabe a nós decidir como queremos que ela seja. Daí a importância do evento realizado em São Paulo.

Evento aberto ao público

Paralelamente ao encontro no hotel Grand Hyatt, será realizada nesta semana aArena Netmundial – o objetivo é permitir que qualquer pessoa participe da discussão da governança. A arena ficará sediada no Centro Cultural de São Paulo, até 24 de abril, e suas atividades também serão transmitidas ao vivo pela internet.

Os internautas podem interagir com o evento nas redes sociais Twitter e Facebook. As hashtags oficiais criadas para o evento são #ParticipaBR e #ArenaNetMundial

terça-feira, 15 de abril de 2014

Estudantes realizam assembleia no Centro de Convivência

Na noite de ontem, 14, cerca de 100 estudantes, dentre eles muitos CAs, DAs e coletivos da universidade, se reuniram em assembleia junto ao DCE para debater os abusos e ameaças do SETURN, como a retirada da linha circular. Os estudantes deliberaram, entre outras coisas, a chamada de um ato para o dia 24/04.

Na assembleia realizada no Centro de Convivência da UFRN foi lembrado pelos estudantes que a linha circular foi idealizada pelos próprios empresários do transporte para retirar as linhas convencionais que na época passavam por dentro do Campus Central da UFRN. Também foi colocado que essa ameaça aos estudantes poderia ser um mero desvio de foco para a cartada principal do SETURN, que é o aumento de passagem.

Depois de muita discussão política e viabilidade das ações, ficou acertado um ATO unificado para o dia 24/04, esse ato começará como um cortejo às 17h saindo da reitoria com destino à parada do circular. O objetivo é estarmos fortes e mobilizados às 18h na parada do circular (ao lado do via direta). O tema do ato será "Mais Circular. Fora SETURN". Objetivando problematizar as retiradas das linhas, fiscalização do circular e apresentação das planilhas de custo do SITOPARN.

Também ficou deliberado em assembleia, a criação de um fórum de discussão sobre mobilidade na UFRN, com função de articular-se com um fórum mais amplo, de Natal ou até mesmo do RN para construir discussões e ampliar o debate sobre o tema.


sexta-feira, 11 de abril de 2014

UFRN inicia novas obras no Campus Central e nos campi do interior

Quem circula pelos campi da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na capital ou no interior do estado se depara com novos canteiros de obras instalados em diversos cantos da Instituição. São cinco novas construções desde o início desta semana, totalizando pouco mais de cinco milhões e meio de investimentos por parte da Universidade.

Os recursos são provenientes do orçamento de capital da UFRN, conforme explicou a reitora Ângela Paiva Cruz, ao assinar os cinco contratos com quatro construtoras selecionadas por processo licitatório. Testemunhado por diretores de centros, dos campi do interior, coordenadores de laboratórios e pesquisadores, o momento foi comemorado por eles como “um dia a ser celebrado, tendo em vista a iniciativa da UFRN em construir laboratórios tão relevantes para o ensino, a pesquisa e a extensão”, conforme declarou o professor Djalma Ribeiro da Silva, diretor do Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET).

Benefícios

A construção da segunda etapa do Laboratório de Análises Estratigráficas “enseja a retomada da parceria com a Petrobras, na perspectiva de continuarmos as pesquisas que vínhamos desenvolvendo”, declarou o professor Francisco Pinheiro de Lima Filho, do Departamento de Geologia. “Esse laboratório é estratégico para essa parceria, pois envolve atividades de ensino, pesquisa e extensão na área de geologia sedimentar e geologia do petróleo”, observou o pesquisador. Abriga, portanto, o trabalho de pesquisadores e técnicos da UFRN e da Petrobras, completou Francisco Pinheiro de Lima Filho.

Na ocasião, a reitora da UFRN manifestou o esforço da gestão no sentido de garantir recursos para concluir serviços de construção e a edificação de novos espaços, exigidos em conseqüência à expansão e crescimento da Instituição. “Temos trabalhado incessantemente junto ao MEC, para que as obras não sofram descontinuidade”, declarou Ângela Paiva. Queremos que esses novos espaços e serviços ora contratados, continuou, “cumpram a finalidade para a qual estão sendo erguidos, que é abrigar laboratórios e salas de aula e ou proporcionar novas condições de funcionamento para aqueles que já fazem parte da estrutura física dos campi da UFRN, como é o caso das subestações que vão possibilitar a ampliação do uso de energia elétrica”, enfatizou a reitora.

Algumas das obras contratadas não são visíveis, porém necessárias aos setores da Universidade, conforme justificou a gestora. “Em alguns casos os laboratórios estão comprometidos, devido a incapacidade de suprimento de energia elétrica para a execução das pesquisas e serviços”. Para esses casos, como o Centro de Ciências Aplicadas (CCSA) e o Núcleo de Estudos e Pesquisa em Ciências Aplicadas (NEPSA), que atende, também, o Centro de Educação, contratamos construções de subestações abrigadas. Esse tipo de serviço potencializa o fornecimento de energia elétrica, que deve ser compatível com as novas demandas da comunidade universitária.

“O funcionamento inadequado da rede elétrica, assim como as constantes quedas de energia, têm ocasionado a perda de equipamentos, ou seja, prejuízos financeiro e de interrupção do trabalho devido a falta dessa infraestrutura, emenda Maria Arlete Duarte de Araújo, diretora do CCSA. Após ouvir os presentes, a reitora completou: “Esse esforço é no sentido dos departamentos de Nutrição, Escola de Enfermagem, do CCSA, Departamento de Geologia e Escola Agrícola de Jundiaí possam operar em melhores condições, favorecendo o trabalho do professor, do pesquisador, alunos e servidores técnicos e, assim, possamos juntos cumprir a missão da Instituição”.

OBRAS

Construção da Subestação Abrigada para os prédios do CCSA e NEPSA
Valor: R$ 1.068.000,00

Construção da Subestação Abrigada para os prédios dos departamentos de Nutrição e de Enfermagem
Valor: R$ 374.950,00

Construção da 2ª etapa do Laboratório de Análises Estratigráficas do Departamento de Geologia/CCET
Valor: R$ 1.800.000,00

Construção da Unidade de Ensino de formação inicial e continuada da Escola Agrícola de Jundiaí
Valor: R$ 1.155.387,48

Reestruturação da rede de distribuição de energia elétrica da Escola Agrícola de Jundiaí
Valor: R$ 1.200.000,00

Conforme os contratos, à exceção das subestações o prazo de execução das obras é de 320 dias.

Via UFRN.br

quarta-feira, 9 de abril de 2014

ATO contra violência obstétrica

Atenção à violência obstétrica.

Mulheres são diariamente vítimas da chamada violência obstétrica em consultórios e hospitais das redes pública e privada de saúde.

Muitas parturientes não sabem dos seus direitos no pré-natal, na hora do parto e no pós-parto e constantemente sofrem com agressões físicas ou emocionais por parte dos profissionais de saúde.

A informação é a melhor prevenção. Informe-se, informe!


terça-feira, 8 de abril de 2014

DCE/UFRN convoca CEB para esta quinta-feira

Gestão #Étempo convoca o Conselho de Entidades de Base (CAs e DAs) para a próxima quinta-feira, às 17h, no DCE.




quinta-feira, 3 de abril de 2014

Contribuição voluntária

O DCE da UFRN, já há algum tempo, confecciona as carteiras de estudante a preço de custo (R$ 5,00) para os alunos da universidade.

Optou-se pela contribuição voluntária dos estudantes. O que isso siginifica? Os alunos têm livre escolha para contribuir com o que puder para o Diretório Central dos Estudantes.

O pedido é que quem puder contribuir com o DCE, o faça. Essa contribuição é diretamente utilizada nas lutas dentro e fora da universidade. O que queremos é um DCE forte e verdadeiramente representativo.

*Funcionamos das 08h às 21h no setor I de aulas.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

DCE participa de Ato em DEScomemoração aos 50 anos do golpe militar.

O Movimento Estudantil da UFRN se fez presente no ato em DEScomemoração aos 50 anos do golpe militar no Brasil, no dia de ontem (01), por meio do órgão de representação estudantil, Diretório Central dos Estudantes.
O DCE se juntou ao movimento dos trabalhadores, de mulheres, camponês em um ato unificado para lembrar do golpe que o povo brasileiro sofreu em 1964, mantendo viva a memória dos assassinados, torturados, presos e exilados da ditadura.

O coordenador geral do DCE, Gabriel Medeiros, fez fala ala em favor da abertura dos arquivos da ditadura e em memória das vítimas do regime, inflamando pessoas que tomavam conta da rua Ulisses Caldas, em frente à prefeitura.

A também coordenadora geral do DCE, Nátaly Santiago, participou da intervenção artística que deu início à caminhada por debaixo do viaduto do Baldo.

Outras entidades representativas da UFRN se fizeram presente no ato, como o CA de letras e coletivo ENECOS. Além de, claro, estudantes e militantes do movimento estudantil em geral.

terça-feira, 1 de abril de 2014

DCE lança nota de luto e de luta para o dia 1º de Abril de 2014

Nota de luto e de luta do DCE da UFRN para o dia 1. de Abril de 2014. O dia primeiro de abril é um dia de lembranças, luto e luta. 

"O dia primeiro de abril é um dia de lembranças, luto e luta. Neste fatídico dia, há 50 anos, acordavam os brasileiros e as brasileiras em uma ditadura militar, após terem, na véspera, adormecido em uma democracia das mais progressistas que o nosso pais já viveu.

A covardia dos militares já se mostrava logo na sua chegada ao poder. Na calada da noite, tomaram o governo de assalto das mãos do povo e instalaram uma ditadura profundamente autoritária e sanguinária e o período mais tenebroso da história recente brasileira. Cassações arbitrárias de mandatos parlamentares, perseguições nas universidades e nas fábricas, prisões, torturas, assassinatos. Tudo isso se tornou comum nos 21 anos que se seguiram ao 1º de Abril de 1964.

As principais organizações de trabalhadores e trabalhadoras, sejam elas sindicatos, partidos ou coletivos, foram vítimas do Estado militar. Na nossa universidade, a reitoria possuía uma parceria intima com o regime, com a instalação de um escritório da agência de investigação (Assessoria de Segurança e Informações) nas dependências do campus. Entidades estudantis tiveram seus mandatos cassados, estudantes foram entregues à repressão e professores subversivos foram expulsos.

O próprio Diretório Central dos Estudantes sofreu intervenção militar e teve sua diretoria presa. O povo não assistiu, porém, de forma passiva ao desmoronamento da nação brasileira. Foram muitos os lutadores e muitas as lutadoras que dedicaram suas vidas, sua juventude e sua integridade à luta democrática na resistência à ditadura. Aqui lembramos no nome de Emmanuel Bezerra, Anatália Alves e José Silton Pinheiro os e as potiguares militantes no movimento estudantil à época que tiveram suas vidas ceifadas pela repressão militar.

Saudamos respeitosamente, ainda, no nome de Juliano Homem de Siqueira, Luiza Nóbrega e Moisés Domingos nossos atuais professores universitários que entregaram sua juventude à militância pela democracia e sofreram duras penas por isso. A sua história de dedicação e empenho para a construção de um novo projeto de sociedade, mesmo que a custo de suas próprias vidas, nos encoraja e inspira a seguirmos a luta diária. Mais do que honrarmos a militância de outrora com reverências, porém, devemos compreender a atualidade da luta democrática.

Diversas são as estruturas herdadas da ditadura militar que ainda persistem no nosso sistema político, no judiciário, na polícia repressiva e na nossa universidade. Por isso, devemos encarar como desafios à nossa geração a consolidação da luta iniciada pelas figuras que hoje reverenciamos. Lutar por um novo sistema político, pelo fim da polícia militar, por eleições paritárias para os cargos de gestão da UFRN é honrá-los na prática diária do movimento estudantil.

Que o façamos, então, e que sigamos ocupando as salas, corredores, reitoria, praças, ruas e corações e mentes na disputa constante por uma sociedade mais democrática. Emmanuel Bezerra, presente! Anatália Alves, presente! José Silton Pinheiro, presente! Todas as lutadoras e todos os lutadores do povo, presentes!"

segunda-feira, 31 de março de 2014

Trilhas Potiguares assina convênio com municípios do RN

O Trilhas Potiguares da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) assinou contrato com os municípios participantes da edição de 2014 do programa de extensão, na manhã desta sexta-feira, 28, na sala de reuniões da Reitoria.

As atividades do Trilhas Potiguares acontecerão de 25 de junho a 2 de julho, em 11 municípios do Rio Grande do Norte.

A reitora Ângela Paiva Cruz falou sobre a importância do programa como instrumento de promoção da justiça social. “O programa é uma das nossas extensões mais importantes, porque procura solucionar os problemas da comunidade, além de ser uma oportunidade para os alunos aplicarem o que aprenderam na academia. Dessa forma, a função da Universidade está sendo cumprida, auxiliando na redução das desigualdades sociais”.

O pró-reitor de Extensão (PROEX), Edmilson Lopes Júnior, explicou que o Trilhas auxilia no estreitamento da relação entre a UFRN e os municípios e agrega alunos, professores e técnico-administrativos de diversas áreas do conhecimento da Universidade.

Segundo a pró-reitora adjunta de Extensão, Conceição Fraga, o Trilhas Potiguares fará 19 anos de existência, mas “o sucesso do projeto depende, principalmente, do acolhimento das prefeituras porque os alunos participam de forma voluntária e por paixão”.

Hilca Honorato, técnica em Cenotécnica da UFRN, que será coordenadora da equipe do município de Major Sales, participou do programa quando era aluna e disse que “é uma realização poder trabalhar novamente no Trilhas Potiguares”.

A prefeita de Santana do Matos, Lardjane Macedo, relembrou o sucesso da última edição do Trilhas no município, que foi exibido no programa televisivo “Globo Universidade”, e reforçou a parceria para este ano. “Ainda temos sementes plantadas até hoje, na nossa juventude, do trabalho feito no ano passado pela UFRN”.

Para o prefeito de Major Sales, Arthur Fernandes, o ponto forte de seu município é a cultura, porém, na opinião do gestor, “uma luta a ser vencida é a questão das drogas”. Para a prefeita de Martins, Olga Fernandes, seu município necessita de ajuda da Universidade, especialmente, no setor turístico, área de maior destaque da economia municipal.

“A última participação no Trilhas, na minha cidade, foi show de bola”, avaliou a secretária de Educação de Viçosa, Adalmaria Lopes. “Tivemos o privilégio de receber o programa e trabalhamos desde as crianças até os idoso”. Já a responsável pele município de Paraná, Oriana Rodrigues, disse estar disposta a trabalhar junto com a Universidade para que o projeto aconteça da melhor forma possível.

Trilhas 2014

A edição do Trilha Potiguares deste ano acontecerá em Alexandria, Martins, Parazinho, Patu, Portalegre, Santana do Matos, Sítio Novo, Taipu, Viçosa, Paraná e Major Sales, com a participação de dois coordenadores em cada equipe de 20 estudantes.

Via UFRN.br

sábado, 29 de março de 2014

Prefeitura prorroga prazo das Carteiras de estudante 2013

Considerando que 30% dos estabelecimentos de ensino não atualizaram os seus respectivos bancos de dados dos alunos matriculados para o ano letivo, a Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), prorrogou até o dia 30 de abril deste ano o prazo de validade da Identidade Estudantil 2013.

A prorrogação é válida para todos os fins a que se destina, incluindo o direito a meia passagem no sistema de transporte público da cidade e entrada com 50% de desconto em cinemas e teatros.

O decreto com a decisão da prorrogação da Identidade Estudantil será publicado nesta segunda-feira (31) no Diário Oficial do Município.

O DCE já está providenciando a confecção das carteiras 2014, novamente, ao preço de custo de 5,00 reais.

sexta-feira, 28 de março de 2014

José Silton Pinheiro PRESENTE

Após 50 anos do golpe que retirou direitos, liberdade e dignidade do povo brasileiro, o DCE sente-se no dever de contar a história do jovem que dá nome a esta entidade.

José Silton Pinheiro nasceu em 31 de maio de 1948 no sítio Pium de Cima, município de São José de Mipibu, Rio Grande do Norte, filho de Milton Gomes Pinheiro e Severina Gomes Pinheiro.

Silton viveu até seus 6 anos de idade no sítio onde nasceu. Depois transferiu-se para a cidade de Monte Alegre, na qual ficou até completar 10 anos de idade. A partir daí radicou-se na capital, Natal. O curso primário foi concluído no Instituto Sagrada Família. Terminou o curso ginasial no Colégio Santo Antonio, dos Irmãos Maristas, em 1966. Iniciou o curso clássico no Colégio Estadual Padre Miguelinho, finalizando-o no Atheneu Norteriograndense.

Em 1964, o jovem começa sua militância política no movimento estudantil, tendo sido eleito presidente do Diretório Marista de Natal, que logo depois do golpe militar passou a ser denominado Grêmio Marista de Natal. Jovem cheio de alegria, senso de humor e com grande facilidade de fazer amigos, tinha carinho especial pelas crianças. Em 1970, ingressa na Faculdade de Pedagogia da UFRN. Neste mesmo ano incorpora-se ao Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR ). Em função da perseguição política movida pela ditadura militar em 1972 é obrigado a entrar na clandestinidade. Silton é deslocado para Recife/PE e posteriormente para o Rio de Janeiro, onde continua sua atividade política dentro do partido.

Silton foi morto, sob torturas, no dia 29 de dezembro de 1972, juntamente com os seus companheiros de partido: Fernando Augusto da Fonseca, Getúlio Oliveira Cabral e José Bartolomeu de Souza, no Rio de Janeiro. Foi montado pela repressão política um "teatrinho" para justificar a morte dos jovens revolucionários, como se tivesse ocorrida em tiroteio com os agentes da ditadura. Seu corpo foi encontrado totalmente carbonizado, num automóvel Volkswagem à rua Grajaú, no. 321. Obviamente os corpos estavam nesse estado com o fim de ocultar as marcas das sevícias a que foram submetidos. No verso de sua Certidão de Óbito firmada pelo legista da repressão Roberto Blanco dos Santos, foi colocada a frase: "Inimigo da pátria" (terrorista), revelando o ódio dos seus algozes para com ele. Seu corpo foi sepultado no cemitério de Ricardo Albuquerque, em 06 de fevereiro de 1973, na cova no. 22.706, quadra 21.

Em 20 de março de 1978, seus restos mortais foram transferidos para um ossário geral e em 1980\1981 foram para uma vala clandestina, junto com 2.000 ossadas de indigentes. No contexto da Lei no. 9140\95, sua família está buscando o reconhecimento oficial da responsabilidade da União pela morte de José Silton Pinheiro.

Ação em DESCOMEMORAÇÃO dos 50 anos do golpe militar no Brasil, para que NUNCA mais ocorra!

quinta-feira, 27 de março de 2014

Aprovação do Marco Civil da Internet é histórica para direitos dos internautas, diz IDEC.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) considerou a aprovação do projeto de lei do Marco Civil da Internet, na noite de ontem (25), na Câmara dos Deputados, um marco histórico para a garantia dos direitos dos internautas brasileiros. Para o Idec, o projeto aprovado reflete a força da mobilização da sociedade por uma rede aberta, livre e neutra.

"Há bastante pela frente: a tramitação no Senado, a aprovação das regulamentações previstas no projeto de lei e a efetivação dos direitos nele assegurados. Apesar do caminho que ainda deve ser percorrido, o momento é de comemoração pelos passos fundamentais que já foram dados até aqui", disse a advogada do instituto, Veridiana Alimonti.

O Idec comemorou a manutenção no texto final do princípio da neutralidade de rede, que garante o tráfego não discriminatório de pacotes de dados na internet, impedindo que as empresas de telecomunicações deem prioridade ou degradem determinados conteúdos, serviços e aplicações online segundo seus interesses. “Apesar da pressão contrária desse setor, a neutralidade foi assegurada no texto final que segue para o Senado, com a defesa de que todos possam navegar na internet sem bloqueios, independentemente de ser acesso a textos, vídeos, e-mails, ou mesmo no caso de ser um produtor desse conteúdo, sem uma cobrança diferenciada por cada perfil de internauta”, explicou a entidade.

Outra garantia fundamental do projeto, segundo o Idec, é a proteção à liberdade de expressão e ao acesso à informação com a previsão de ordem judicial para a responsabilização de sitesem relação a conteúdos de terceiros, além de disposições importantes referentes à privacidade. No entanto, o instituto defendeu o aprimoramento do Artigo 15, que estabelece a guarda obrigatória dos registros de navegação dos usuários por determinados perfis de sites.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) também recebeu de forma positiva a aprovação. “O texto aprovado, mesmo não sendo em sua totalidade a proposta que o setor considera ideal para a sociedade, assegura qa continuidade dos planos existentes e garante a liberdade de oferta de serviços diversificados, para atender aos diferentes perfis de usuários”, diz nota da entidade.

Segundo o SindiTelebrasil, o texto aprovado garante a continuidade de programas como o desenvolvido pelo Ministério da Educação, que prevê conexão gratuita à internet para reciclagem e aperfeiçoamento de professores, além de projetos como o de internet 0800, em que a conexão é paga pelo site que está oferecendo o serviço, e o controle pelos pais dos conteúdos a que os filhos têm acesso.

Hoje (26), o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, considerou o resultado da votação “muito bom”, apesar da retirada de alguns pontos que ele defendia, como a obrigatoriedade de os data centers (centrais de armazenamento de dados) de provedores de conexão e aplicações de internet ficarem em território nacional. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), garantiu que dará “absoluta celeridade” na tramitação do Projeto de Lei do Marco Civil da Internet.

Postado originalmente por Agência Brasil

terça-feira, 25 de março de 2014

Estudante é atigido por projétil de arma de fogo dentro do Campus.


Projétil
O DCE denuncia o que ocorreu hoje mais cedo, 25 de março de 2014, na parada do circular do setor V da UFRN com o estudante Fábio Henrique, do curso de Turismo. Fábio foi atingido enquanto esperava o ônibus por um projétil de arma de fogo proveniente do centro de treinamento de tiro do Exército Brasileiro.

Projétil
 Na semana que vem, lembraremos com o simbolismo do dia primeiro de abril o golpe militar que tomou o poder do Brasil em 1964. O golpe deu início a uma era povoada de episódios de violações de direitos humanos, perseguições, torturas e assassinatos por ordens do regime comandado pelas forças militares. Fábio foi atingido por um projétil já sem velocidade, que provavelmente já teria ricocheteado em algum objeto, mas termos um estudante ferido, mesmo que superficial e levemente, 50 anos depois do golpe que assombrou o país, desperta indignação. Exigimos um pronunciamento da Reitoria e das Forças Armadas acerca do episódio que aponte soluções e mudanças, já que as reclamações são constantes dos estudantes, principalmente do setor I, acerca da inconveniência da convivência diária com os barulhos incessantes de disparos e que novas ocorrências como essa, de balas-perdidas, não são descartadas.

Projeto "Reutilizar é Bem Melhor" estimula a reutilização de materiais na UFRN.

Em consonância com a Agenda Ambiental da Administração Pública e a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o projeto de extensão da UFRN “Reutilizar é Bem Melhor!” tem o objetivo de estimular a reutilização de bens e equipamentos descartados pela comunidade acadêmica, mas passíveis de reaproveitamento.

Para isso, será realizado, pelos bolsistas, atividade de separação e pequenos reparos no rol de bens móveis permanentes da UFRN que foram descartados pelos setores e julgados aptos a serem utilizados novamente, mesmo que com finalidade diversa da original.

Siga o blog do projeto e fique por dentro das novidades:http://reutilizar-ufrn.blogspot.com.br/

NAC e CA de Teatro realizam celebração ao dia mundial do teatro

O próximo dia 27 de março, dia mundial do teatro, o programa Siga Arte na UFRN: arte, cultura, qualidade de vida e meio ambiente, coordenado pelo Núcleo de Arte e Cultura da UFRN, em parceria com o CA de Teatro e com apoio de várias instâncias da Universidade, realizará uma programação especial em diversos setores da UFRN, para celebrar essa data tão especial! O dia mundial do teatro foi criado em 1961 pelo Instituto Internacional do Teatro (ITI), data da inauguração do Teatro das Nações, em Paris. O marco principal do surgimento do teatro foi a reunião de um grupo de pessoas em uma pedreira, que se reuniram nas proximidades de uma fogueira para se aquecer do frio. A representação existe desde os tempos primitivos, quando os homens imitavam os animais para contar aos outros como eles eram e o que faziam, se eram bravos, se atacavam, ou seja, era a necessidade de comunicação entre os homens.

Os povos da Grécia antiga transformaram essas encenações em arte, criando os primeiros espaços próprios, para que fossem divulgadas suas ideias, as mitologias, agradecimentos aos vários deuses, dentre outros assuntos.

Para mais informações: (84)3215-3237 e sigaarteufrn@hotmail.com

Clique para ampliar

1ª Plenária de organização da Jornada de Lutas da Juventude 2014


No Rio Grande do Norte, a primeira plenária para organização da Jornada de Lutas será realizada nesta terça (25/03), às 18h, no auditório do Diretório Central de Estudantes da UFRN (Campus Central, Natal/RN). A presença dos mais variados movimentos e organizações juvenis é extremamente importante para que a Jornada contemple as mais variadas facetas e demandas das juventudes, bem como para que possamos amplificar nossa voz nas ruas e pressionar os poderes constituídos. Vamos juntxs!

Confira abaixo o manifesto da Jornada:


Manifesto da Jornada Nacional de Lutas da Juventude 2014


Unir a Juventude Brasileira: “Se o presente é de luta, o futuro nos pertence!”
Che Guevara

26 de Março a 9 de Abril

As entidades estudantis, as juventudes do movimento social, dos trabalhadores/as, da cidade, do campo, as feministas, os negros e negras, as juventudes partidárias, religiosas, lgbt, dos coletivos de cultura e das periferias se unem por um ideal: avançar nas mudanças e conquistar mais direitos para juventude.

É preciso denunciar o extermínio da juventude negra e das periferias a quem o Estado só se apresenta através da violência. O mesmo abandono se dá no campo, que alimenta a cidade e segue órfão da reforma agrária e dos investimentos necessários à permanência da juventude no campo, de onde é expulsa devido à concentração de terras, à ausência de políticas de convívio com o semiárido. Já na cidade, a juventude encontra a poluição, a precarização no trabalho, a ausência do direito de organização sindical, os mais baixos salários e alta rotatividade – agravando-se com a terceirização – que se tornam fatores ainda mais graves no que diz respeito às jovens trabalhadoras.

Essa é a dura realidade da maioria da População Economicamente Ativa no país, que querem conquistar mais direitos e mais participação, e não as mentiras da imprensa oligopolizada, que foi parceira da ideologia do milagre brasileiro e cúmplice da ditadura, ao encobrir torturas e assassinatos e sendo beneficiária da monopolização ainda vigente. É coerente que ela se oponha à verdade e à justiça, que se cale ante as torturas e ao extermínio dos pobres e negros dos dias de hoje, que busque confundir e dopar a juventude, envenenando a política, vendendo-nos inutilidades, reproduzindo os valores da violência, da homofobia, do racismo, do machismo e da intolerância religiosa, mas eles não falam mais sozinhos: estamos aqui pra fazer barulho.

Queremos cidades mais humanas em vez de racismo, violência e intolerância. Queremos as garantias de um estado laico, democrático, inclusivo, que respeite os direitos humanos fundamentais, inclusive aos nossos corpos, à liberdade de orientação sexual e à identidade de gênero, num ambiente que assegure a liberdade religiosa. Queremos que a juventude tenha o direito de dar seu rolezinho, e usufruir das cidades e do campo, com garantias de melhoria na mobilidade urbana e rural, com transporte público de qualidade.

Queremos reformas estruturais que garantam um projeto de desenvolvimento social e que abram caminhos ao socialismo. Lutamos por um desenvolvimento sustentável, solidário, que rompa com os valores do patriarcado, que assegure o direito universal à educação, ao trabalho decente, à liberdade de organização sindical, à terra para quem nela trabalha e o direito à verdade e à justiça para nossos heróis mortos e desaparecidos.

Para continuar avançando é preciso incorporar a juventude ao desenvolvimento do país. Incluir o bônus demográfico atual exige uma política econômica soberana que valorize o trabalho, baseado na produção, no investimento e as políticas sociais, e não a especulação. Esse é o melhor cenário para tornar realidade os direitos que aprovamos no estatuto da juventude.

As manifestações protagonizadas pela juventude em junho de 2013 questionaram as atuais instituições políticas e explicitaram a necessidade de mudanças profundas no sistema político brasileiro. Nesse sentido, o Plebiscito Popular pela Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político apresenta-se para nós como uma oportunidade histórica para dar voz e poder ao povo brasileiro, e avançar nas reformas estruturantes de nosso país. Estaremos construindo o Plebiscito, entendendo-o como um processo de unidade dos movimentos sociais e um momento de amplos debates e mobilizações.

Seguimos em uma caminhada de unidade e luta por reformas estruturais que enterrem o neoliberalismo e resguardem a nossa democracia e nosso direito de manifestação contra leis nas quais o Estado classifica os movimentos sociais nas ruas como terroristas e contra os retrocessos que pretendem impor os monopólios da mídia, ou golpes institucionais dos quais a América Latina frequentemente é alvo.
Unidos e cheios de esperança, convocamos a juventude a tomar em suas mãos o futuro dos avanços no Brasil, na luta pelas seguintes bandeiras consensualmente construídas:

1. Educação: financiamento público da educação

1.1 10% PIB para educação pública
1.2 Aprovação imediata do PNE, conforme relatório da Câmara
1.3 2% do PIB para ciência, tecnologia e inovação
1.4 Por uma política permanente de valorização das bolsas de pesquisa
1.5 Democratização do acesso e da permanência na universidade
1.6 Pela expansão e a qualidade da educação do campo
1.7 Cotas raciais e sociais nas universidades estaduais
1.8 Curricularização da extensão universitária
1.9 Regulação e ampliação da qualidade, em especial, do setor privado
1.10 Contra o capital estrangeiro nas universidades e escolas
1.11 Estatização das universidades privadas em crise, com garantia dos direitos dos estudantes e trabalhadores e com responsabilização dos empresários pelas dividas e irregularidades;
1.12 2% do orçamento do MEC para Assistência Estudantil
1.13 Criação de mais creches municipais e creches universitária
1.14 Efetivação da Lei 10639 e 11645 do ensino história e cultura Afrobrasileira e Indígena
1.15 Maior articulação das políticas de educação com as políticas de cultura, comunicação, meio ambiente e direitos humanos

2. Trabalho – trabalho decente

2.1 Redução da jornada de trabalho sem redução de salário! 40 horas já!
2.2 Condições dignas de trabalho decente
2.3 Políticas que visem a conciliação entre trabalho, estudos e trabalho doméstico
2.4 Direito de organização sindical no local de trabalho
2.5 Contra a precarização promovida pela terceirização
2.6 Pela igualdade entre homens e mulheres no trabalho e entre negros/as e não negros/as
2.7 Aprovação da PEC do Trabalho Escravo

3. Por avanços na democracia brasileira – reforma política

3.1 Plebiscito Popular pela Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político
3.2 Pelo fim do financiamento de empresas privadas nas eleições
3.3 Combate ás desigualdades sociais e regionais
3.4 Paridade entre mulheres e homens em todos os espaços de representação política
3.5 Contra a judicialização da política e a criminalização dos movimentos sociais
3.6 Pela auditoria da dívida pública
3.7 Contra o avanço do capital estrangeiro na aquisição de terras e na educação
3.8 Reforma agrária popular
3.9 Garantia do Estado Laico
3.10 Aprovação do PL 4471/2012

4. Diretos sociais e humanos: violência contra juventude

4.1 Contra o extermínio da juventude negra
4.2 Contra a redução da maioridade penal
4.3 Garantia do direito à memória, à verdade e à justiça e a punição dos crimes da ditadura
4.4 Garantia dos direitos sexuais e reprodutivos, como à autonomia sobre o próprio corpo e o combate à sua mercantilização em especial das jovens mulheres
4.5 Pelo fim da violência contra as mulheres
4.6 Pela mobilidade urbana e o direito à cidade
4.7 Pelo direito da juventude à moradia
4.8 Desmilitarização da polícia
4.9 Respeito à diversidade sexual, aos nomes sociais e criminalização da homofobia
4.10 Apoio à luta indígena e quilombola e das comunidades tradicionais
4.11 Contra a internação compulsória e pelo tratamento do uso abusivo de substâncias químicas através de uma política de redução de danos
4.12 Pelo direito ao lazer à cultura e ao esporte, inclusive com a promoção de esportes radicais
4.13 Valorização e respeito à diversidade cultural brasileira
4.14 Contra o PL 499/2013 que trata de crimes de “tipificação terrorista”

5. Democratização dos meios de comunicação

5.1. Universalização da internet de banda larga no campo e na cidade
5.2 Políticas públicas para grupos e redes de cultura, comunicação livres e comunitárias
5.3 Políticas públicas para os meios de comunicação da imprensa alternativa
5.4. Apoio ao movimento de software livre
5.5. Redistribuição das verbas de publicidade do Governo Federal para mídias e veículos alternativos.

Assinam este documento: ABGLT, ABEEF; ANPG; Associação Cultural B; Centro de Estudos Barão de Itararé; Circuito Universitário de Cultura e Arte – CUCA; CNAB; CMB; Coletivo Estopim; Coletivo Quilombo; CONAM, CONEN, Consulta Popular; CONTAG; Ecosurfi; Enegrecer; FEAB; Federação Paulista de Skate; Fora do Eixo; Juventude da CTB; Juventude da CUT; Juventude do PSB; Juventude do PT; Juventude Pátria Livre; JUNTOS; Levante Popular da Juventude; MAB: Marcha Mundial das Mulheres; Movimento de Mulheres Camponesas; MST; Nação Hip Hop Brasil; Pastoral da Juventude, PJMP, PJR; PCR; REJU; Rejuma; UBES; UBM, UJS; UNE; Via Campesina.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Pró-Reitoria de Graduação da início às atividades do Cursinho da UFRN

O Programa Complementar de Estudos para Estudantes do Ensino Médio (PROCEEM), de responsabilidade da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), deu início, no dia 10 de março, às atividades do Cursinho da UFRN. 

Nesta edição de 2014, as novecentas vagas do Cursinho da UFRN foram preenchidas  e distribuídas em 20 turmas nos seguintes espaços: Departamento de Enfermagem (noturno), Setor I e Setor III (vespertino) no Campus Central; Na Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí – FACISA (noturno e final de semana) em Santa Cruz; No Centro de Ensino Superior do Seridó - CERES Caicó e Currais Novos (vespertino).

Coordenado pelas professoras Jucimar França Vilar Lima e Sandra Kelly de Araujo, o objetivo do PROCEEM, criado desde 2006, é ampliar as expectativas e oportunidades de acesso ao Ensino Superior dos estudantes que concluíram seus estudos em escolas públicas, tendo como estratégia o oferecimento de um cursinho preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

A Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC) do Rio Grande do Norte mantém parceria com o programa dando suporte financeiro e de locomoção para os professores. Na última sexta-feira, 14,  disponibilizou aos professores e alunos do programa 5.000 livros didáticos.

Para saber mais sobre o PROCEEM basta acessar a página do programa no endereço eletrônico: http://ufrncursinho.blogspot.com.br, ou entrar em contato pelos telefones (84) 3342-2219 (Ramal 112), 9167-6593, ou ainda pelo e-mail: proceem@prograd.ufrn.br.

Via boletim diário AGECOM

quinta-feira, 13 de março de 2014

DCE esclarece processo de Carteiras de Estudante 2014

Notado o interesse e a dúvida de grande parte dos estudantes da UFRN com relação ao início do processo de carteiras deste ano, o DCE/UFRN vem a público esclarecer a situação das Carteiras de Estudante 2014.

Primeiramente, para que comecem a ser confeccionadas as carteiras de estudante para os alunos de NATAL a SEMOB (Secretária de Mobilidade) que é o órgão que regula tal assunto, ainda não publicou o edital no diário oficial convocando as entidades para se habilitarem para o processo de carteiras 2014. Por isso não temos PREVISÃO do início do processo.

Já para os estudantes de OUTRAS cidades, como Parnamirim, Caicó, Currais novos etc, o DER (Departamento de Estradas e Rodagens) já convocou edital porém ainda não publicou o resultado das entidades que estão APTAS a confeccionarem as carteiras estudantis 2014.

O DCE está totalmente por dentro do processo e começará a confeccionar as carteiras assim que autorizado pelos órgãos responsáveis. O início do processo será amplamente divulgado em todas as redes do DCE e também pelo SIGAA.

Lembramos que essa "autorização", tanto da SEMOB quanto do DER, é necessária para TODAS as Entidades Estudantis, sem ela a carteira NÃO é válida.

NENHUMA ENTIDADE ESTUDANTIL ESTÁ HABILITADA A FAZER CARTEIRAS DE ESTUDANTE 2014.