Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

'

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Novas informaçõe sobre o CONSEPE


NOTA:

Conforme ficou esclarecido na última nota divulgada pela Direção do DCE e o Conselho Estudantil nos Conselhos Superiores a respeito do ocorrido na última reunião do CONSEPE , dia 06/04, tivemos nossa luta em prol da prorrogação do prazo para trancamento seriamente abalada pela manifestação intransigente, truculenta e anti-democrática da oposição, formada pelo POR, CA de Serviço Social e ANEL, que impediu a realização da reunião do CONSEPE e anulou sua possibilidade de votar um novo prazo para o período de trancamento.

Em vista da urgência com que tal questão deveria ser resolvida, já que o prazo então em vigor acabaria no dia 12/04 (seis dias após o fiasco da ultima reunião do CONSEPE), o DCE José Sílton Pinheiro (Coordenadores Igor e Davyson), junto com Coordenador Administrativo do Cursinho (Dennys), Conselheiro da Residência Campus II (Luiz), CA de História (Leonardo) e CA de Economia (Gicélio), articulou uma reunião no mesmo dia com o gabinete do Reitor.

Nessa reunião compareceram, além dos estudantes já citados, o Reitor e representantes das Pró-Reitorias da Universidade. Assim, o DCE encampou a discussão a respeito de uma ação imediata para colocar em 2/3 o prazo para trancamento, de acordo com a última assembléia geral dos estudantes. Durante o debate se percebeu que seria inviável a realização de uma reunião extraordinária do CONSEPE dentro dos seis dias, principalmente após o ranço ao tema que foi criado dentro do Conselho, e acordou-se que o reitor editaria um ad referendum para revogar o prazo de 1/3 e reestabelecer o prazo de 2/3.

No dia 09 de abril todos os estudantes foram comunicados do resultado do trabalho sério e responsável da atual Gestão do DCE: a prorrogação do prazo de trancamento para o dia 27 de maio. Um resultado que beneficiará todos os estudantes.

Continuaremos nossa luta em prol da reestruturação da administração centralizadora e eminentemente docente da UFRN. O Regulamento de Graduação precisa e será debatido com toda a comunidade acadêmica, principalmente alunos e funcionários.

Temos plena consciência que essa vitória significa apenas um pequeno passo na luta em defesa dos direitos estudantis. Mas, para além dos resultados imediatos, essa conquista tem um significado muito maior: a vitória de uma forma de movimento estudantil que repudia a intransigência, a agressão e o sectarismo, e pelo contrário, prioriza as práticas democráticas de luta como o diálogo, as manifestações propositivas, o respeito ao outro e, principalmente, a vontade dos mais de 35 mil estudantes da Universidade.

Esse é o nosso sonho. Essa é nossa luta.

Diretório Central dos Estudantes José Sílton Pinheiro
Gestão “No sonho, na arte, na luta”.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

ESCLARECIMENTOS - Tumulto no CONSEPE - oposição estudantil impede o diálogo


Pessoal,

Como alguns já devem saber, hoje (07 de Abril) houve reunião do CONSEPE para discutir um ponto específico do novo regulamento de graduação, a questão do prazo para trancamento, e não terminou bem. Por isso o Conselho Estudantil no CONSEPE e a Direção do DCE vêm esclarecer o que de fato houve hoje pela manhã.

Ontem, segunda-feira (5 de abril), convocamos uma reunião para articular e organizar a intervenção estudantil na reunião de hoje. Porém, não conseguimos chegar a um acordo. O DCE tinha como proposta a mudança no que se refere ao prazo de trancamento (que acaba próxima segunda) e também o início das discussões acerca do novo regulamento e da reestruturação administrativa da UFRN, construindo espaços mais democráticos abrangendo, efetivamente, a participação dos estudantes e dos funcionários nas tomadas de decisões dentro da Instituição.

Por outro lado, o POR (partido operário revolucionário), representado principalmente por Jodinaldo e Alessandro, e o CA de Serviço Social, representado principalmente por Bárbara, estabeleceram uma postura de oposição. Pretendiam exigir do CONSEPE a revogação imediata de todo o regulamento, e a abertura das discussões acerca do novo regulamento.

O CONSEPE convocado tinha como pauta a discussão em torno do prazo para trancamento e o DCE tentou criar o consenso para que todos os estudantes se apresentassem à sala dos colegiados com a bandeira de defender a volta ao prazo de 2/3 do período letivo. A oposição (liderada pelo POR e CA de Serviço Social) não coadunou com a proposta do DCE e resolveram partir para a intransigência de revogar todo o regulamento, posição descabida já que a reunião do CONSEPE não possuía legitimidade para tomar tal decisão.

que acabou ocorrendo foi que hoje pela manhã, diversos estudantes compareceram ao Conselho, a maioria mobilizada pela oposição. De início fizeram uma manifestação pacífica, positiva para o ambiente do Conselho. Até o momento em que se deu início oficial à reunião do CONSEPE e ao debate que promoveria a extinção do prazo de 1/3 pra trancamento.
O debate começou com o parecer da relatoria, em seguida houve o posicionamento do o Conselheiro Estudantil (Pedro Feitoza), que proferiu seu discurso defendendo a posição estudantil que ficou clara na assembléia estudantil organizada pelo DCE anteriormente (a posição de defesa do prazo de 2/3 para trancamento) e questionando o modelo de composição do CONSEPE que agride o ideal de democracia; e logo após a Pró-Reitora de Graduação fez alguns esclarecimentos.

Seguindo o debate, a presidência da mesa do conselho, na pessoa da Vice-Reitora, sugeriu que houvesse 4 posicionamentos estudantis e 4 posicionamentos dos conselheiros para garantir a equidade e qualidade do debate, evitando um alongamento desnecessário da discussão (já que no CONSEPE anterior havia acontecido um debate de duas horas de duração a respeito do tema). O pessoal da oposição, desrespeitando a ordem de inscrições, não aceitou essa configuração e exigiu que aos estudantes fossem abertas tantas falas quanto eles quisessem.

A presidência da mesa negou a proposta do coletivo formado pelo POR e CA de Serviço Social. Tal coletivo resolveu então impedir que a reunião ocorresse num molde que eles discordassem, tumultuando a reunião e criando uma confusão que terminou com o posicionamento da Vice-Reitora de suspender a sessão do CONSEPE. Uma vez suspensa a reunião, a oposição não cessou sua manifestação e passou a impedir que os presentes na sala dos colegiados deixassem o ambiente, acabaram então por entrar em conflito com os professores, funcionários seguranças e alguns estudantes (inclusive agredindo estes últimos) que não concordaram com a posição autoritária da oposição e quiseram garantir o direito de ir e vir dos conselheiros e observadores do CONSEPE.

Resultado: a oposição, com sua política extremista e autoritária, prejudicou todos os mais de 35 mil estudantes da UFRN, destruiu o diálogo que o corpo estudantil vinha travando com a administração da universidade e acabou por garantir que o prazo de 1/3 para trancamento continue valendo (prazo este que terminará na próxima segunda-feira, dia 12/04).

O DCE e os Conselheiros Estudantis tentarão convocar uma reunião extraordinária do CONSEPE ou conseguir uma decisão ad referendum do Reitor para garantir que o prazo para trancamento seja estendido.

Acreditamos que se desejamos lutar pela construção de uma espaço verdadeiramente democrático na Universidade, não podemos utilizar práticas anti-democráticas e agressivas à integridade física de outras pessoas. Seria uma contradição. Acreditamos no diálogo, na construção coletiva como o primeiro meio e mais eficaz de se avançar na luta. Acreditamos que a mobilização estudantil, a manifestação dos estudantes, ocupando espaços em massa, puxando gritos de ordem, promovendo pressão e defendendo os interesses estudantis são formas de promover o diálogo. O que não podemos é partir para a agressão, a intransigência, a luta irracional, o extremismo cego e autoritário. E infelizmente foi isso que ocorreu hoje pela manhã no CONSEPE.

O DCE e os Conselheiros Estudantis acreditam que a maioria dos estudantes concorda com essa posição democrática, e por isso continuarão na luta pela construção de um Regulamento de Graduação que realmente abarque a posição de alunos e funcionários. Estamos confiantes de que, através do correto exercício da democracia participativa, conseguiremos contornar a situação e garantir uma vitória ao movimento estudantil da UFRN.



Igor Nogueira Soares – Coordenador do DCE
Pedro Rezende Santos Feitoza – Conselheiro Estudantil do CONSEPE