Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

'

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

CEB sábado, 29/11, às 14h30

CEB - Conselho de Entidades de Base
Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Diretório Central dos Estudantes José Sílton Pinheiro
Conselho de Entidades de Base

Convocatória

A gestão Sonhos que podemos ter, através deste, convoca as entidades de base da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (centros acadêmicos, diretórios acadêmicos e conselhos de residência) ao último Conselho de Entidades de Base do semestre letivo 2008.2, para a discussão dos seguintes pontos de pauta:

1. CONEUF - Congresso dos Estudantes da UFRN
2. CONEB - Conselho Nacional de Entidades de Base da UNE
3. Acusação por desvio de dinheiro

É extremamente importante que todas as entidades de base enviem pelo menos um representante, pois o CONEB será realizado ainda durante as férias, em Janeiro; além disso o CONEUF deve ser realizado logo no início do próximo semestre, de forma que a mobilização já deveria ter começado. Ao fim do Conselho de Entidades de Base haverá uma pequena confraternização entre DCE e entidades de base.

DATA: SÁBADO (29 DE NOVEMBRO DE 2008)
HORÁRIO: 14h30min
LOCAL: SALA DOS COLEGIADOS DA REITORIA

PS: Quem tiver dificuldade de se deslocar do VIA DIRETA à Reitoria entre em contato conosco, para garantirmos o transporte.
Ligar pra Fabiana: 8804-7757 ou 9946-4930

Atenciosamente,
BRUNO DA COSTA FERREIRA
Coordenação de Organização Estudantil do DCE UFRN

Meia passagem: uma eterna luta

Espanta-nos e causa desgosto em todo ente estudantil (seja às uniões de estudantes ou ao estudante como indivíduo) o projeto de lei PLS 188/2007 e sua tentativa de cercear um direito arduamente conquistado a tanto tempo atrás.

O lazer do estudante não é algo dissociado de sua educação, o ensino por si só não é capaz de formar o verdadeiro profissional e a própria estrutura das Universidades brasileiras reconhece essa assertiva ao basearem a educação de seus alunos no tripé do ensino, pesquisa e extensão. As atividades recreativas exercem poder até sobre a formação do caráter das pessoas, seu acesso e sua intensidade são de extrema relevância na formação do cidadão.

Diversos estudos, como o de Adriana Stadnik “A IMPORTÂNCIA DO LAZER CRIATIVO DENTRO DA PERSPECTIVA DOS NOVOS MERCADOS DE TRABALHO” (disponível aqui; acesso em 07/11 de 2008), demonstram que não é o diploma da pessoa o determinante em sua eficiência, mas seu estado de espírito (sendo este extremamente influenciado pela recreação). O fator “felicidade” é de grande relevância para o desenvolvimento intelectual, social e laboral de pessoas em todas as idades e limitar o acesso destas aos meios que lhe proporcionam felicidade é um atentado à própria figura do homem em comunidade.

O projeto de lei fala em cotas para meia-entrada; algo inaceitável em nossa sociedade, pois você não pode separar uma pessoa do meio social baseado em classe, origem, idade, cor, sexo, capacidade física, ou qualquer outro tipo de discriminação sem incorrer necessariamente na prática de um preconceito. Infundada seria a tentativa de se construir um argumento alegando que a medida não afastaria os estudantes, já que impedir alguém de exercer um direito (a não ser nos casos de proteção de outros direitos considerados mais importantes e esse com certeza não se configura como um desses casos) também é algo inaceitável por nosso ordenamento jurídico.

Um absurdo é também discutir a limitação de dias para o exercício do direito, ainda mais nos dias citados para as atividades elencadas: “não valerá nos cinemas em finais de semana e feriados locais ou nacionais. Para todos os outros eventos, como peças teatrais e shows, a meia-entrada não valerá de quinta-feira a sábado, se o projeto for aprovado.” (citação retirada do site de notícias da BOL, acesso em 07/11/2008). Só essa medida já reduziria a uma quantidade ínfima a validade da carteira de estudante para eventos e realizações culturais; pois o principal uso da carteira se dá para o acesso de atividades recreativas que em sua maioria se apresentam na forma e nos dias restringidos pelo projeto de lei.

Outra pífia justificativa apresentada por Eduardo Azevedo, autor do projeto, para implantação do PLS 188/2007 é a de proteger os empresários dos prejuízos causados pela existência da meia-entrada. Perguntamos se esse prejuízo realmente existe... Sabemos que o lucro será menor, mas falar em prejuízo? Diversas medidas são feitas para evitar o exercício da meia-entrada, como uso de promoções com preço fixo (existente até mesmo em estádios de futebol), e nenhum empresário pensa um evento tendo em mento prejuízo ele deve adequar todos os quesitos do evento, incluindo o preço, as características do público alvo.

Falando do corpo estudantil vemos que esse é geralmente representado por pessoas sem renda própria, assim poder aquisitivo dessa classe é limitado o que torna o preço um determinante na escolha dos locais a se freqüentar (não apenas o preço da entrada, mas também o custo do consumo dento do evento). A limitação mesmo que parcial da meia-entrada seria um retrocesso à cultura e não um avanço, já que o número médio de freqüentadores iria cair. Isso causaria uma diminuição nos lucros dos empresários que dependem tanto do valor unitário, quanto do montante de consumidores e um aumento pequeno naquele poderia significar uma drástica diminuição deste.

A hipótese de o Estado subsidiar a meia-entrada é inviável, é uma mascara para proteger o empresariado, esta medida puniria toda a sociedade, até mesmo os estudantes, que já sofre com a grande carga tributária para beneficiar uma pequena parcela da população. Esse subsidio não traria à cultura o mesmo incentivo que a inserção direta de recursos para a viabilização da firmação de grupos; questão muito mais crítica hoje em dia, já que existem diversos interessados sem as condições para o exercício da atividade cultural e que não seriam beneficiados por um subsidio em prol da manutenção dos lucros de quem já realiza eventos.

Entrando no mérito jurídico da questão temos a Constituição Federal que estabelece em seu artigo 23°, inciso V, competência comum à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios proporcionar os meios de acesso à cultura, à educação e à ciência; e em seu artigo 24°, inciso IX, competência concorrente para a União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar sobre educação, cultura, ensino e desporto. Sabendo que o dever da União, vinculando os senadores, é estabelecer as normas gerais sobre o tema, acreditamos ser o objetivo da Lei Federal reconhecer o direito à meia-entrada, dispor sobre os meios para garantir-la e fiscalizar-la e impedir a superveniência de normas, de qualquer origem, que venham a restringir direito de uma classe tão grande e importante como a estudantil, a Lei Federal deve servir de suporte contra projetos como o PLS 188/2007.

Mas o projeto do Senador Eduardo não está completamente errado, ele apresenta uma das bandeiras da luta estudantil séria: “a padronização da Carteira de Identificação Estudantil em todo o território nacional”. Pois um estudante não é apenas estudante em seu município, em seu estado ou em sua sala de aula, ele é estudante em tempo integral e onde quer que esteja e aqueles que se fazem passar por estudantes são um mal que prejudica a sociedade como um todo. Os falsos estudantes devem ser extintos, só que isso não pode ser feito através da redução dos benefícios dados aos estudantes; pois estes não devem pagar por uma incompetência de órgãos reguladores e fiscais. Além do mais a padronização é o primeiro passo para a conquista da carteira estudantil gratuita, ou pelo menos a preço de custo, luta que encampamos por acreditar que não se deve vincular o exercício deste direito estudantil a uma cobrança pecuniária, já que não é o ato da compra da carteira que te permite exercer o direito e sim o fato de ser um estudante.

Com este texto o Diretório Central dos Estudantes – José Sílton Pinheiro, com a legitimidade conferida pelos estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e apoiado no sistema de democracia que rege a República Federativa do Brasil, escancara seu ponto de vista sobre o projeto de lei PLS 188/2007, pois não é e nunca será do feitio da classe estudantil o silêncio e a estagnação.

Igor Nogueira
Coordenador de Assuntos Institucionais

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Segurança do Campus - UFRN muda de número

A Coordenadoria de Segurança Patrimonial informa que o novo número do telefone de emergência é 08000 84 2050. O acréscimo de um "0" ao prefixo 0800 foi realizado com o objetivo de resolver problemas técnicos, segundo informações da operadora de telefonia fixa Oi. Pedimos a todos que seja realizada a maior divulgação possível dess informação, para que as necessidade da comunidade sejam atendidas e o trabalho da segurança possa efetivada com maior presteza e agilidade.

Texto: Cleanto Otaviano Pontes, da Coordenadoria de Segurança Patrimonial/UFRN

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

DCE faz nova visita ao CERES

O Diretório Central dos Estudantes esteve novamente no CERES, desta vez acompanhando o Secretário de Assuntos Estudantis da UFRN, visitando as residências universitárias de Currais Novos e Caicó, bem como em reunião com o Diretório Acadêmico e a Direção do Centro.
Além de ouvir as reivindicações dos residentes, estivemos discutindo a questão do auxílio transporte, que foi uma conquista da atual gestão do DCE mas que ainda não foi implantado.

A Pró-reitoria de Administração da UFRN encontra dificuldades de implementar o benefício devido à diversidade de necessidades dos estudantes, alegando ser difícil implementar diversas bolsas com valores distintos.
Em reunião com o Diretório Acadêmico, a SAE e a direção do CERES, o DCE sugeriu que os quatro segmentos entrassem em acordo para defender uma proposta junto à PROAD, que seria a implantação de duas bolsas com valores médios, que se aproximam das necessidades estudantis, de forma que os estudantes já pudessem receber o benefício no início de 2009.

Estaremos em permanente contato com a SAE e com a Reitoria no sentido de garantir a implementação do auxílio, tão necessário para a garantia da permanência dos estudantes do CERES em sala de aula.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Editais Culturais FJA










Confira o regulameto dos Editais da Fundação José Augusto


Estão disponíveis para download dois novos editais de incentivos à cultura. São os prêmios Thomé Filgueria de Artes Visuais e o Rubens Lemos de Jornalismo Cultural. Estes editais fazem parte de uma nova política cultural que visa fomentar a cultura potiguar, numa ação inédita aqui no Estado, na qual a governadora Wilma de Faria destinou crédito suplementar de R$ 1 milhão para ações desse tipo. Esses dois editais são os primeiros de uma série de 14 que contemplam várias modalidades artísticas como dança, audiovisual, teatro e música.

Prêmio Thomé Filgueira - inscrições até 13 de novembro.
Informações: 3232-9724

Prêmio Rubens Lemos - inscrições de 03 a 28 de novembro.
Informações: 3232-55352 ou assecomfja@rn.gov.br

Confira os editais na íntegra.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

SETURN entrega cartão de bilhetagem eletrônica até 20/11

O SETURN está entregando até a próxima quinta-feira (20/11), no seu posto de atendimento localizado no Centro de Convivência da UFRN, o cartão de bilhetagem eletrônica, que irá substituir o passe estudantil.

A entrega acontece de segunda à sexta-feira, das 8 às 17h. Para receber o cartão, o estudante deve apresentar a carteira de estudante de 2008. O SETURN também informa que nos dias 18 e 19/11 estará entregando os cartões no período da noite, das 18 às 21h, na sede do DCE, localizado no setor I de aulas da UFRN.


Fonte: SAE-UFRN

Ato simbólico segunda, 17/11 - dia da Consciência Negra

Foto: Juliana Bulhões
Nesta segunda-feira, 17/11, a partir das 14h, no pátio da Reitoria da UFRN, ocorrerá um ato simbólico lembrando o dia da Consciência Negra, que é dia 20 deste mês.

O DCE-UFRN, junto com ONGs como PDA-Caminhos do Sol e Posse Lelo Melodia, realizarão debate-relâmpago sobre o tema, questionando, por exemplo, a distribuição étnica na Universidade.

Participe!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Especial Dia da Consciência Negra: Semana da Consciência Negra terá programação em Natal

13.11.08
Semana da Consciência Negra terá programação em Natal

No mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra e os 120 anos sem abolição, a Coordenadoria Estadual de Promoção de Igualdade Racial - COEPPIR realiza uma extensa programação sobre a questão da igualdade racial no Estado.
Confira: Leia mais

Dia 18/11/2008 - terça feira

16h - Acolhimento das comunidades e credenciamento
18h Abertura – autoridades- Apresentação cultural- II encontro estadual da juventude negraLocal: Caic- Lagoa Nova

Dia 19/11/2008 - quarta feira

08h às 16h - Torneio esportivo entre as comunidades quilombolas “Genildo de Oliveira” - Entrega de troféus e medalhas- Oficina de pintura afro
Local: Caic –Lagoa Nova

17: 00 às 23h00min - Saudação aos orixás pelas comunidades da religião de matriz africana- Show político cultural - artistas locais- Desfile – beleza negra
Local: Largo da Ribeira (em frente ao Teatro Alberto Maranhão)

Dia 20/11/2008 – quinta feira

08h30 às 12h- Instalação e posse do fòrum das relações étnico racial - Palestra: 120 anos sem aboliçãoLocal: Assembléia Legislativa- Natal/RN

14h - Concentração: Praça Vermelha – centro de Natal- panfletagem e carro de som c/musica. - Apresentação e lançamento do Dvd Filhos de Gandy e Lucinha

16h00min - Passeata Saida: Praça Vermelha – Rio Branco – centro de Natal
Final: largo da ribeira

18h00min - Show político cultural
Lia de Itamaraca
Desfile beleza negra
Local: Largo da Ribeira

Dia 20/11 - Goianinha

9h às 17h - Sarau poético: “Bamba, o menino negro”Local: Escola Municipal Professora Nazaré de Andrade Duarte Cohab – Goianinha/RN

Dia 21/11 Dia Nacional da Consciência Negra

08h às 12h- Apresentação cultural- Audiência pública
Local: Camara Municpal de Parnamirim

14h às 17h- Desfile beleza negra de parnamirim- Show politico cultural
Local: Cohabinal - Parnamirim

Realização
Governo do Estado-Secretaria da Justiça e da Cidadania
Coodenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial
Secretaria Estadual de Esporte e Lazer
Secretaria Estadual de Educação
Fundação José Augusto
Kilombo Organização Negra do RN
Coeq/Rn – Coordenação Estadual de Comuidades Quilombolas Conac
Coordenação Estadual da Juventude Negra
Cia EditamFeuc/Rn- Federação de Umbanda e Candomble do RN
Fórum Estadual de Religiosos de Matriz Africana
Abassa Bengué BassôIlê Asé Dajô Obá Ogodô
Ilê Axé Obè OtogundaRede Mandacaru do RN
Grupo de Percussão Axé ObáMovimento Hip Hop
Grupos de CapoeirasGrupos de ReggueArtistas Pau Furado Infantil
Grupo de Dança Perola NegraDança do Expontão

Especial Dia da Consciência Negra: PROJETO DE LEI QUILOMBOS - Substitutivo

PROJETO DE LEI QUILOMBOS - Substitutivo
Reconhece a propriedade definitiva das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos Quilombos, em atendimento ao artigo 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal..

Autor: Fernando Mineiro

Data: 14.04.2008


Substitutivo do Projeto de Lei nº /2008.
Reconhece a propriedade definitiva das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos Quilombos, em atendimento ao artigo 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal.
A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono e promulgo a Lei seguinte:
Art. 1º - Fica reconhecida a propriedade definitiva das terras devolutas ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos no território do Estado do Rio Grande do Norte, obedecido o disposto na legislação pertinente.Parágrafo único – Fica o Poder Executivo obrigado a emitir os títulos respectivos aos proprietários remanescentes de quilombos que comprovem a ocupação das terras devolutas, a que se refere o “caput” deste artigo, nos termos dos artigos 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal.


Art. 2º - A comprovação exigida no Parágrafo único do artigo 1º será feita pela Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial, vinculada à Secretaria de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, que se responsabilizarão, perante a Lei, sobre as informações prestadas.

§ 1º - Constarão, obrigatoriamente, na referida declaração:


I – Histórico da ocupação do local, baseado em testemunho de seus moradores, recompondo a cadeia sucessória,
II – Delimitação da sua área ocupada incluindo locais de moradia, locais para uso de subsistência e de locais de preservação ambiental, discriminando as áreas pertencentes à comunidade quilombola para fins de emissão de título de propriedade.
III - Este título será expedido em nome de Associação Comunitária legalmente reconhecida formada por membros da comunidade quilombola;


IV - A titulação prevista nesta lei será reconhecida e registrada mediante outorga de título coletivo e pró-indiviso à respectiva comunidade quilombola, com obrigatória inserção de cláusula de inalienabilidade, imprescritibilidade e de impenhorabilidade.
§ 2º - Uma vez protocolada em órgão do Poder Executivo Estadual responsável pela política agrária, a referida declaração, pelo só efeito desta Lei, passa a ter valor legal imediato como documento comprobatório da propriedade da área, até ser substituída pelo documento definitivo a ser emitido pelo Poder Executivo.


§ 3º - No caso de superposição de áreas de remanescentes de quilombos com unidades de conservação legalmente constituídas, o Estado procederá a adequação da categoria da unidade a ocupação pelas comunidades, intermediando com a União e Municípios nos casos de unidades federais ou municipais, com o objetivo de atender aos objetivos desta lei, garantindo a preservação dos principais atributos dos ecossistemas e a manutenção das reservas florestais e obrigatórias.
Art. 3º - Os órgãos estaduais da administração direta, incumbidos das políticas agrárias e agrícolas, destinarão parte dos respectivos orçamentos para o cumprimento do disposto nesta Lei.


Art. 4 - O Governo do Estado elaborará e desenvolverá políticas públicas e sociais, promovidas pelas suas Secretarias e demais órgãos, voltadas para o desenvolvimento sustentável e equilibrado das comunidades quilombolas, independentemente de sua regularização territorial.Parágrafo único: é facultado aos órgãos do Governo do Estado, para o cumprimento das disposições contidas nesta lei, celebrar convênios, contratos, acordos ou instrumentos similares de cooperação com órgãos públicos ou instituições privadas, desde que com reconhecida competência nesta questão.

Art. 5º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 6º - Revogam-se as disposições em contrário.Natal, 14 de abril de 2008.

FERNANDO MINEIRODeputado Estadual/PT-RN

JUSTIFICATIVA

Há cerca de uma década ou mais, o movimento pelo direito à igualdade racial no Rio Grande do Norte, vem desenvolvendo inúmeras ações com vistas a buscar visibilidade para as comunidades remanescentes de quilombos existentes em solo potiguar.A organização Kilombo, entidade da sociedade civil do RN, registra a existência de 44 comunidades negras rurais existentes em nosso território. Já a Fundação Cultural Palmares, registra 15 certificados emitidos em nome de comunidades negras do Rio Grande do Norte. O governo do Estado do Rio Grande do Norte, através da recém criada Coordenadoria de Promoção de Igualdade Racial, vinculada à Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania, institucionalizou o processo de criação de políticas públicas para as comunidades negras que já transcorriam de forma fragmentada. Um passo adiante, será, certamente, a emissão de títulos de posses de terras à população que vive nas diversas comunidades, através do processo de regularização fundiária. Este é, pois, o objetivo, do presente projeto, que reclama por aprovação de seus pares.
Natal, 14 de abril de 2008

FERNANDO MINEIRO
Deputado Estadual/PT-RN

Especial Dia da Consciência Negra: Entrevista Ministro da SEPPIR

Ministro defende criação de delegacias especializadas para punir crimes étnico-raciais

Em entrevista ao Bom Dia Ministro, produzida pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República e transmitida via satélite para rádios de todo o País nesta quinta-feira (6), o ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Edson Santos, falou sobre a proposta de criação das delegacias especializadas em crimes étnico-raciais. Também foram abordados temas como a Semana da Consciência Negra, celebrada de 17 a 23 de novembro, e a política de cotas nas universidades. Leia abaixo os principais trechos.

Delegacias especializadas – “Buscamos a nacionalização das iniciativas de criação de secretarias e delegacias contra crimes raciais. Não entendi a reação de alguns setores contra a proposta. Queremos dar conseqüência a um princípio constitucional, que tipifica o racismo como crime inafiançável e imprescritível. Na medida em que não há agentes públicos qualificados e treinados para acolher as denúncias de racismo, acaba não havendo punição para os autores dessa agressão. São Paulo e Piauí já têm uma delegacia com essas características. Não será uma delegacia de negros. No Brasil, temos judeus, ciganos, indígenas, que também são vítimas de agressões étnicas e raciais. É uma delegacia para cuidar dessas questões.”

Treinamento – “Sugerimos que a própria delegacia tenha especialista no âmbito da antropologia, psicologia, do serviço social, porque a agressão racista atinge a alma da pessoa, a auto-estima do cidadão. Tanto o agressor quanto a vítima precisam passar por um tratamento, porque o racismo é uma doença. Por isso precisamos dotar as delegacias com esses profissionais, que atuariam no sentido de orientar as pessoas. Nosso propósito é não ter apenas um órgão que acolha o crime e puna o agressor, mas que também trabalhe no sentido da prevenção e educação.”

Impunidade – “Uma denúncia de agressão racista ser qualificada como calúnia, que resulta em uma pena leve, acaba por estimular as pessoas a continuarem a cometer este ato. Na medida em que for tipificado enquanto crime inafiançável, isso vai desencorajar as pessoas a terem reações que busquem desqualificar o seu próximo com agressões racistas.”

Implantação – “Nosso objetivo é estimular essa discussão e solicitar a adesão das secretarias de segurança dos estados, que têm competência efetiva para criar delegacias com essa característica. É um programa que pressupõe a adesão dos governadores e secretários de segurança. Na verdade, nosso papel é exatamente estimulá-los para tomar esse tipo de iniciativa.”

Consciência Negra – “Nosso foco na comemoração do dia 20 de novembro, que vai ser no Rio de Janeiro, será o resgate histórico da figura de João Cândido. Colocaremos uma estátua de João Cândido na Praça XV, onde ocorreu a Revolta da Chibata. A cerimônia contará com a presença do presidente da República, que irá descerrar a placa da estátua.”

Política de cotas – “A política de cotas não tem racializado as relações dos jovens nas universidades. O quadro existente é o de convívio. Não há separação entre os jovens cotistas e os não-cotistas. As relações são as melhores possíveis. Além disso, o rendimento desses jovens cotistas tem sido comprovadamente superior à média da universidade. Temos a preocupação de não estabelecer um ambiente de conflito e disputa racial. A criação dessas delegacias é para proteger pessoas que sofrem algum tipo de agressão racial, porque o Estado não tem tido a capacidade de defendê-las. O que se propõe com a criação de delegacias é qualificar o agente público para que ele possa efetivamente recepcionar e dar conseqüência a essas denúncias. E que as pessoas que incorrem nesse delito sejam punidas, de acordo com a Constituição. Há uma certa tendência de pensamento no Brasil de evitar discutir as relações raciais. Acho que é preciso refletir sobre isso e discutir essa questão para que esse mal seja curado. Nos Estados Unidos, a questão do racismo assumiu a forma da segregação racial. Isso levou a sociedade americana a refletir e se mobilizar no sentido de oferecer espaço para a população negra. O resultado que se tem, ao longo de menos de 50 anos, é a eleição de um presidente negro no Estados Unidos.”

Eleição Barack Obama – “A eleição de Obama é algo que vai ser objeto de discussão no Brasil durante algum tempo, mas acredito que ainda estamos longe de chegar a esse ponto no Brasil. Somos 49,5% da população brasileira, mas isso não se remete a nossa representação institucional. Hoje, no Congresso Nacional, não temos 10% de deputados negros. Há ainda um longo caminho a ser percorrido no sentido da projeção de líderes negros comprometidos com o Brasil. A vitória dele deve-se ao fato de ele ter sintetizado o sentimento da maioria da população americana. É um país que vive uma crise comparável à da década de 1930. O discurso dele levou esperança à população dos Estados Unidos. Por essa razão, essa eleição teve o maior quorum da história recente americana. O Obama foi o candidato que melhor conseguiu interpretar o sentimento do povo americano. Ele é produto de um processo histórico vivido pela população americana. Até a metade do século passado, os negros eram segregados e não tinham direito a voto em vários locais. A luta pelos direitos civis contou com mártires como Malcolm X e Martin Luther King. Ao longo desse processo, houve também o lançamento da primeira candidatura de um negro para a presidência dos EUA, que foi o pastor Jesse Jackson.

Entendo que Obama também é um tributo a esse movimento. Não imagino que os EUA pudessem hoje eleger um presidente negro sem ter passado pela experiência da luta pelos direitos civis.”
Mercado de trabalho – “Temos dialogado com o setor privado sobre essa questão. No início do ano, estive em uma reunião com o presidente da República, que contou com a participação das 500 maiores empresas que atuam no Brasil. Tivemos a oportunidade de tratar do tema da discriminação racial no ambiente de trabalho. Tem havido progresso não só nas relações no ambiente de trabalho, como também o ingresso no mercado de trabalho para o jovem negro. Estive em São Paulo com representantes da Febraban, que qualificaram jovens para assumir funções mais qualificadas no sistema bancário. Acredito que com a formação de jovens pelo sistema de cotas e pelo ProUni, eles vão buscar o mercado de trabalho e teremos condições de ter um debate massificado no que se refere às relações de trabalho. Evidentemente, um jovem que se forma engenheiro, advogado ou médico vai ingressar no mercado e não vai aceitar uma diferenciação salarial pelo fato de ser negro.”

Racismo e preconceito – “Acho que o País está mudando. Até a polêmica em cima do tema é saudável. Todo debate relacionado às questões raciais no Brasil tem sido objeto de polêmica. Até porque alguns defendem que as políticas públicas universais darão conta de termos um país onde as diferenças entre negros e brancos serão sanadas ao longo do período de implantação dessas políticas. Quem defende isso se esquece de que tratar os desiguais como iguais manterá a desigualdade durante todo esse período. É fundamental a atuação do Estado no sentido de dar mais a quem tem menos possibilidades de ascender na sociedade. Felizmente, hoje temos um governo que tem buscado investir na promoção social da nossa população. Temos dados de vários institutos de pesquisas que nos mostram um número cada vez maior de brasileiros na classe C. Isso se deve à política de desenvolvimento implementada pelo governo do presidente Lula, que tem propiciado à população essa ascensão social.

Há uma dívida histórica do nosso País com a população negra. Tivemos a abolição da escravidão em 1888, que não veio acompanhada de medidas de inserção do negro nas atividades econômicas. Nosso País era essencialmente agrário e não foram oferecidas terras para o negro se fixar. Entendo que, neste governo, estamos tomando iniciativas que terão impacto ao longo de algumas gerações.”
Agenda social quilombola – “Nosso objetivo é instalar 22 comitês gestores até 2010. Será nesse comitê gestor que serão definidas as ações a serem desenvolvidas junto às comunidades quilombolas, sejam ações no âmbito do saneamento, saúde, habitação ou do fornecimento de energia elétrica. A agenda social quilombola tem a participação de vários ministérios e órgãos públicos comprometidos com investimentos para a melhoria das condições de vida das comunidades remanescentes dos quilombos. Evidentemente, a instalação do comitê gestor e as definições tomadas por ele vão contribuir de forma significativa para a melhoria das condições de vida das comunidades quilombolas. É importante informar que no comitê gestor pressupomos a participação de lideranças indicadas pelos quilombolas para que eles possam também assumir a responsabilidade da discussão da locação de recursos voltadas para a melhoria das condições de vida dessas comunidades.”

Demarcação quilombola – “O primeiro passo no processo de reconhecimento das comunidades quilombolas é a certificação dessa comunidade a partir da sua auto-definição, realizado pela Fundação Cultural Palmares. O segundo é a demarcação da terra, um desafio secular e que evidentemente causa reações. Temos uma ação de declaração de inconstitucionalidade do decreto que regulamenta a ação do governo junto às comunidades quilombolas. Essa ação tramita no Supremo Tribunal Federal e consideramos que há condições de manutenção do decreto.”

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

DCE visita o CERES

Cinco representantes do Diretório Central dos Estudantes viajaram até Caicó na última terça-feira para participar de uma mobilização promovida pelo Diretório Acadêmico, denunciando a apatia da direção do Centro no sentido de solucionar os problemas vivenciados pelos estudantes.

Após uma reunião com a diretoria do DA, a direção do DCE participou de uma reunião com os diretores do Centro e agendou uma reunião entre a SAE, a Superintendência de Infraestrutura da UFRN, a Diretoria do CERES, o DA da Caicó e a Reitoria.
Depois de visitar as residências masculina e feminina, os representantes do DCE viajaram até Currais Novos para tomar conhecimento das problemáticas locais, retornando a Natal para a reunião com a Reitoria.

Os principais problemas encontrados estão inseridos na questão da assistência estudantil e da própria gestão do CERES. A direção do DCE espera que após a reunião com a Reitoria algumas soluções sejam encontradas.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

CA de Ecologia promove mesa redonda

...

















Clique na imagem para ampliar

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Resultado final do Festival Universitário da Canção: vence "Trova Inovadora"

Aluna do Curso de Especialização em Gestão Integrada da Universidade Castelo Branco - UCB, Elizabeth Rose de Macedo Gomes foi a grande vencedora do Festival Universitário da Canção, promovido pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e organizado pela Secretaria de Assuntos Estudantis, neste final de semana, na Praça Cívica do Campus. Autora e intérprete da música Trova Inovadora, a primeira classificada recebeu um troféu e um prêmio em dinheiro no valor de R$ 3 mil reais.

Formada em Administração pela UFRN e atualmente cursando especialização na UCB, Elizabeth Rose já participou de dois Festivais - o Canta Nordeste e o Festival Musical Visa. A vencedora, ressalva que teve ´boa aceitação tanto do público quanto da platéia`, o que, em sua opinião, foi um Prêmio em dobro. ´O mais importante é saber que a mensagem chegou ao fundo da alma do público e receber o reconhecimento por meio de comentários e abordagens de pessoas da platéia`.

Elizabeth tem uma área de atuação bem eclética, que vai desde covers do rock nacional até música popular e evangélica. Agora, com a vitória no Festival, ela planeja divulgar músicas suas já gravadas e fazer o lançamento de um pacote infantil composto de um cd e um livro.


Fonte: AgeCom

sábado, 8 de novembro de 2008

Festival Universitário da Canção: dez finalistas!















O Festival Universitário da Canção se iniciou ontem, sexta (7), resultando nos dez nomes classificados pra final que será hoje, sábado (8), a partir das 19h.

Confira as dez canções finalistas:

- Sempre me fascina, Denis Rodrigues de Souza (Marketing UnP);
- Cerro Corá, Layane Azevedo Silva (Ciências Biológicas - UFRN);
-
Andar, João Paulo Holanda (Medicina - UFRN);
-
Trova Inovadora, Elizabeth Rose de Macêdo Gomes (Administração- Universidade Castelo Branco);
-
Preste mais atenção, Rafael Trigueiro Domingos(Química do Petróleo - UFRN);
-
Menos um (Caranguejo), Klécio Adriano (Artes Cênicas/UFRN);
-
Berço da Cultura Potiguar, Hailton Alves Ferreira (Geografia - UFRN);
-
Voando para você, Carlos Magno Bezerra Jr. (Educação Física - UnP);
-
Cotovelada, Rani de Morais Soares (Arquitetura - UFRN);
-
Ódio e rancor, Junierik Ribeiro (Educação Física - UFRN).

O evento hoje se inicia às
19h, na Praça Cívica - Anfiteatro da UFRN e terá Galvão Filho e Banda no encerramento.

Participe!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Festival Universitário da Canção começa nesta sexta-feira 07/11


Na próxima sexta-feira (7), às 18h, dar-se-á início às apresentações do Festival Universitário da Canção 2008, com grande final no sábado (8), às 19h. Um evento histórico organizado em parceria pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes), pela SAE (Secretaria de Assuntos Estudantis) e pela FMU 88,9 (Rádio FM Universitária), todos órgãos da UFRN, e patrocinado pelo Banco do Brasil. O evento, que será realizado no Anfiteatro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Praça Cívica), faz parte das comemorações dos 50 anos da UFRN.
Nesta ocasião, vinte universitários pré-selecionados de universidades do Rio Grande do Norte disputarão o prêmio de melhor música, tendo ainda premiações para segundos e terceiros colocados e júri popular para melhor compositor e melhor intérprete. O encerramento dos dois dias ficará por conta da banda Alcatéia Maldita (na sexta) e do músico Galvão filho (no sábado), a partir das 21h. A ordem de apresentação das músicas da eliminatória da sexta-feira já está disponível no site do DCE e da SAE.



Mais informações:
DCE-UFRN 325-3325, www.dce.ufrn.br

SAE 3215-3311,
www.sae.ufrn.br

Contatos:
Rodrigo Bico 8835-9242
Cida Campello 9406-2239


Assessoria de Comunicação do DCE-UFRN
divulgacao.dce@gmail.com

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Está chegando a hora... Festival Universitário da Canção!















Está chegando a hora... Sexta-feira (07/11), às 18h, será o primeiro dia do Festival Universitário da Canção, no anfiteatro da UFRN - praça cívica. O sorteio das apresentações das 20 músicas que concorrerão ao Festival resultou na seguinte ordem:

1ª) Música: Sempre me fascina
Autor: Denis Rodrigues de Souza
Instituição: UnP
Curso: Marketing

2ª) Música: Cerro Corá
Autor(a): Layane Silva
Instituição: UFRN
Curso: Ciências Biológicas

3ª) Música: Andar
Autor: João Paulo de Holanda
Instituição: UFRN
Curso: Medicina

4ª) Música: Liberdade ainda que tardia
Autor: Jorge Normando
Instituição: UFRN
Curso: Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

5ª) Música: Sabedoria
Autor: Gustavo Sousa Pimentel
Instituição: UnP
Curso: Educação Física

6ª) Música: Perdido na estação
Autor: Thales Dantas
Instituição: UFRN
Curso: Geografia

7ª) Música: Bossa na Noite de Natal
Autor: Crisanto de Freitas
Instituição: UFRN
Curso: Música

8ª) Música: Trova Inovadora
Autor(a): Elizabeth Rose Gomes
Instituição: Universidade Castelo Branco/UCB
Curso: Administração

9ª) Música: Perto de mim
Autor: Décio Gomes
Instituição: UFRN
Curso: Filosofia

10ª) Música: Preste mais atenção
Autor: Rafael Trigueiro
Instituição: UFRN
Curso: Quimica do Petróleo

11ª) Música: Menos um (caranguejo)
Autor: Klécio Adriano
Instituição: UFRN
Curso: Artes Cênicas

12ª) Música: Tanto Amor
Autor: Jorge Cláudio da Silva
Instituição: UFRN
Curso: Educação Artistica

13ª) Música: Berço da cultura Potiguar
Autor: Hailton Alves Ferreira
Instituição: UFRN
Curso: Geografia

14ª) Música: Festa no Céu
Autor: Paulo Martins
Instituição: UFRN
Curso: Biblioteconomia

15ª) Música: Voando pra você
Autor: Carlos Magno Bezerra Júnior
Instituição: UnP
Curso: Educação Física

16ª) Música: Cotovelada
Autor: Rani Moraes
Instituição: UFRN
Curso: Arquitetura

17ª) Música: Ódio e Rancor
Autor: Juanerik Ribeiro
Instituição: UFRN
Curso: Educação Física

18ª) Música: Fantasia Morta
Autor: Manoel Bezerra
Instituição: UFRN
Curso: Letras

19ª) Música: Despedida
Autor: Geraldo Filho
Instituição: UFRN
Curso: Medicina

20ª) Música: Manhã
Autor: Zoroaster Cavalcanti
Instituição: UFRN
Curso: Geografia

Aguardamos sua presença!!